Zagueiro foi o pioneiro no gesto de levantar a taça acima da cabeça. Foto: Reprodução

Zagueiro foi o pioneiro no gesto de levantar a taça acima da cabeça. Foto: Reprodução

Há exatos sete anos, em decorrência de encefalopatia traumática crônica, morria Bellini, capitão da seleção basileira na Copa de 1958, aos 83 anos.

Inicialmente ele foi diagnosticado como portador de Alzheimer. Depois de sua morte, a partir de um exame realizado em seu cérebro, foi constatado que ele sofria da doença conhecida como "Síndrome do pugilista", tendo como provável causa as inúmeras cabeçadas que o ex-zagueiro realizou durante sua carreira.

Hideraldo Luis Bellini, natural da cidade paulista de Itapira, onde nasceu em 07 de junho de 1930, disputou três Copas do Mundo: 1958 (Suécia), 1962 (Chile) e 1966 (Inglaterra).

Jogou pelo Vasco de 1952 a 1963, pelo São Paulo de 1963 a 1968 e pelo Atlético Paranaense em 1968, quando encerrou sua carreira.

LEVANTANDO A TAÇA

Bellini foi o primeiro atleta a levantar uma taça após conquista de título, gesto que tornou-se comum a partir da Copa de 1958, na Suécia.

CLIQUE AQUI E VEJA A PÁGINA DE BELLINI NA SEÇÃO "QUE FIM LEVOU?"

Seleção Brasileira em jogo válido pelas Eliminatórias da Copa de 1958 no Maracanã. Em pé, da esquerda para a direita: Djalma Santos, Bellini, Zózimo, Nilton Santos, Gylmar e Roberto Belangero. Agachados, da esquerda para a direita: Garrincha, Evaristo de Macedo, Índio, Didi, Joel e Mário Américo (massagista). Foto: UOL


Em pé, da esquerda para a direita: Miguel, Paulinho de Almeida, Bellini, Écio Capovilla, Russo e Dário. Agachados: Sabará, Almir, Delém, Roberto Pinto e Pinga. Foto enviada pelo internauta Roberto Saponari


Amistoso 1965 - Em 21 de novembro de 1965, a Seleção Brasileira empatou com a URSS por 2 a 2, no estádio do Maracanã no Rio de Janeiro. Gols de Gérson e Pelé e para os soviéticos, Metrevelli e Banichevski. Da esquerda para a direita: o massagista Mário Américo, Djalma Santos, Bellini, Manga, Orlando Peçanha, Dudu e Rildo, todos em pé. Agachados: Jairzinho, Gérson, Flávio Minuano, Pelé, Paraná e Pai Santana. Foto Enviada por Roberto Saponari.


Da esquerda para a direita: Bellini, Djalma Santos, Didi, Mauro Ramos e Gylmar. Foto: UOL


Em pé, da esquerda para a direita, Ita, Paulinho de Almeida, Bellini, Écio, Orlando e Coronel. Agachados, da esquerda para a direita, Sabará, Wilson Moreira (filho do treinador Zezé Morereira), Delém, Valdemar e Pinga. Foto enviada por Roberto Saponari


O ex-zagueiro foi capa da revista A Gazeta Ilustrada. Foto: Reprodução/A Gazeta Ilustrada


Bellini com a camisa azul da Seleção Brasileira. Foto: Reprodução/A Gazeta Ilustrada


Vavá, Flávio Costa, Mário Garcia e Bellini. Reprodução, enviada por Eduardo Rodrigues


Da esquerda para a direita: Célio Taveira, José Almeida, Paulo Amaral, Bellini e Valdir. Foto: arquivo pessoal de Valdir Joaquim de Moraes


Rinaldo, Valdir, Bellini e Djalma Santos segurando tapete, produto de artesanato africano. Foto: arquivo pessoal de Valdir Joaquim de Moraes


Em Moscou, em frente ao hotel em que a Seleção Brasileira estava hospedada, em 1966. Atrás, da esquerda para a direita: Ademir da Guia, Altair, Flávio, Dr. Hilton Gosling e Vicente Feola. À frente: Paraná, Jairzinho, Djalma Santos, a intérprete, Bellini, Sebastião Leônidas e Gérson. Foto: arquivo pessoal de Valdir Joaquim de Moraes


Atrás, da esquerda para a direita: Célio Taveira, Bellini, Pelé, Djalma Santos, Paraná, Ademir da Guia e Bruno Hermany (parcialmente encoberto). À frente: Vicente Feola, Mário Américo, José Almeida, Jairzinho, Rildo, Rinaldo, Dr. Hilton Gosling e Valdir Joaquim de Moraes. Agachado, o roupeiro Chicão Assis. Foto: arquivo pessoal de Valdir Joaquim de Moraes


Na gelada Moscou, na época capital da União Soviética e depois capital da Rússia, atrás, da esquerda para a direita: Célio Taveira, Lima, Bellini, Pelé, Djalma Santos, Paraná, Ademir da Guia e Bruno Hermany (preparador físico). À frente: Vicente Feola, Mário Américo, José Almeida e Chicão Assis (roupeiro). Foto: arquivo pessoal de Valdir Joaquim de Moraes


Na única vitória da Seleção Brasileira no mundial de 1966, uma foto linda maravilhosa com a velha e a geração que se consagraria em 1970. Na imagem da esquerda para a direita, apenas com as pernas aparecendo é o fantástico Djalma Santos, seguido pelo excelente volante do Flu, Denilson, o veterano Garrincha, o mais alto é o eterno capitão Bellini, Pelé, o camisa número 14, Lima, abraçado por Jairzinho (encoberto) e Paulo Henrique, o camisa oito. Foto: Reprodução/In My Ear


Da esquerda para a direita, em pé: Vicente Feola, Djalma Santos, Zito, Bellini, Nilton Santos, Orlando Peçanha e Gylmar dos Santos Neves. Agachados: Garrincha, Didi, Pelé, Vavá, Zagallo e Paulo Amaral. Foto: Reprodução/In My Ear


Da esquerda para a direita, De Sordi, Didi, Pelé, Zagallo, Garrincha, Zito, Vavá, Orlando Peçanha, Nilton Santos, Gylmar dos Santos Neves e Bellini. Foto: Reprodução/In My Ear


Na escada do avião da esquerda para a direita e de cima para baixo: Didi, Vavá e Nilton Santos. Bellini e Djalma Santos. Gylmar dos Santos Neves e Pelé. Garrincha, pessoa não identificado, Orlando Peçanha, Zagallo à frente e Pedro Luiz Paoliello (fora da escada). No canto esquerdo da foto, Moacir. Foto: Reprodução/In My Ear


Da esquerda para a direita, em pé: Vicente Feola, Djalma Santos, Zito, Bellini, Nilton Santos, Orlando Peçanha e Gylmar dos Santos Neves. Agachados: Garrincha, Didi, Pelé, Vavá, Zagallo e Paulo Amaral. Foto: Reprodução/In My Ear


Evento do Banco CCF (depois HSBC) em 1998. Da esquerda para a direita, os dois primeiros são Carlos Alberto Torres e Bellini. O quarto é Gylmar e o quinto é Ronaldão, com funcionários da instituição financeira


Evento do Banco CCF (depois HSBC), em 1998. Da esquerda para a direita: o primeiro é Carlos Alberto Torres, o terceiro é Ronaldão e o sexto é Milton Neves seguido por Gylmar, Bellini, Nelsinho Baptista e Careca


Pequeno fã esperando pela bola autografada por Bellini durante evento do Banco CCF (depois HSBC) em 1998


Carlos Alberto Torres, Gylmar e Bellini em 1998, em evento do Banco CCF, depois HSBC


Em 1998, durante evento do Banco CCF (depois HSBC). Milton e Bellini


Da esquerda para a direita, Bellini, Wilson Francisco Alves e jogador não identificado. Foto enviada por Renato Menezes Fernandes


Na época, a pequena Luciana (filha do querido fotógrafo Renato Menezes Fernandes) foi abraçada pelo craque Bellini. Foto enviada por Renato Menezes Fernandes


Veja que, em 20 de março de 1962, Benê estava na seleção de 41 jogadores que poderiam vestir a camisa brasileira no Mundial do Chile - Publicação no Jornal O Globo de 21/03/2012.


Da esquerda para a direita, em pé: Djalma Santos, Gylmar, Bellini, Décio Esteves, Formiga, Coronel e Mário Américo. Agachados: Garrincha, Didi, Paulinho Valentim, Pelé e Chinesinho. Foto enviada por José Alves


O Botafogo tinha Didi e o Vasco, Bellini. Foto enviada por Roberto Saporani


Da esquerda para a direita, em pé: Ita, Paulinho, Bellini, Écio, Barbozinha e Russo. Agachados: Sabará, Saulzinho, Wilson Moreira, Roberto Pinto e Pinga. Foto enviada por Roberto Saponari


Da esquerda para a direita, em pé: Ita, Paulinho, Bellini, Écio, Barbozinha e Russo. Agachados: Sabará, Saulzinho, Wilson Moreira, Roberto Pinto e Pinga. Foto enviada por Roberto Saponari


Na partida disputada em 1969, Bellini disputa a bola com Ali. Miranda (atrás de Bellini), Nair e Luis Carlos, ambos à direita, também aparecem na imagem


Em pé, da esquerda para a direita, De Sordi, Mário Américo, Bellini, Dino Sani, Gylmar, Nílton Santos e Zózimo. Agachados, da esquerda para a direita, Joel, Moacir, Vavá, Dida e Zagallo. Foto: Reprodução


Em pé, da esquerda para a direita: Djalma Santos, Bellini, Zózimo, Nilton Santos, Gylmar e Roberto Belangero. Agachados: Garrincha, Evaristo, Índio, Didi, Joel e Mário Américo


Para disputar amistosos na Europa, em 1965. Em pé, da esquerda para a direita: Djalma Santos, Bellini, Manga, Orlando Peçanha, Rildo e Dudu. Agachados: Jairzinho, Gérson, Bianchini, Pelé e Paraná. Foto enviada por Roberto Saponari


Equipe brasileira que começou o jogo amistoso contra a União Soviética em partida disputada no Estádio Luzhniki, em Moscou. Vitória do Brasil por 3 a 0, com dois gols de Pelé e um de Flávio Minuano. Em pé, da esquerda para a direita: Djalma Santos, Bellini, Manga, Orlando Peçanha, Dudu e Rildo. Agachados: Mário Américo, Jairzinho, Gérson, Flávio Minuano, Pelé e Paraná. Foto enviada por Roberto Saponari


Antes da partida diante da Argentina. Em pé, da esquerda para a direita: Djalma Santos, Manga, Bellini, Rildo, Dudú e Orlando. Agachados, da esquerda para a direita: Garrincha, Ademir da Guia, Flávio, Pelé e Rinaldo. Enviou: Roberto Saponari


Da esquerda para a direita, Bellini e Gylmar dos Santos Neves. Foto: Revista do Esporte


Na imagem, Barbosa aparece em pé, enquanto Bellini e Paulinho de Almeida estão agachados. Foto: Revista do Esporte


Foto: Revista do Esporte


Bellini, ex-capitão da seleção, posa com o uniforme azul. Foto: Reprodução/Revista do Esporte


Foto: Revista do Esporte


Em pé, da esquerda para a direita: Fidélis, Zito, Bellini, Gylmar, Orlando e Paulo Henrique. Agachados: Jairzinho, Gerson, Servíliio, Pelé e Amarildo. A imagem é do dia 25 de junho de 1966, quando o Brasil empatou amistoso com a Escócia por 1 a 1, em Glasgow, na Escócia. O gol brasileiro foi marcado por Servílio, que acabou sendo cortado e não foi à Copa da Inglaterra, no mesmo ano. Amarildo também não foi convocado, por contusão. Foto enviada por Roberto Saponari


Em pé, da esquerda para a direita: Paulinho, Ivan, Brauner, Manga, Urubatão e Bellini. Agachados, da esquerda para a direita: Iedo, Valdemar, Del Vecchio, Pelé e Pepe. Foto: Walter Peres


Com a Taça Jules Rimet, um ano antes de ser roubada e derretida, três capitães campeões mundiais pela Seleção Brasileira com o jornalista João Rehder, em festa da ACEESP no ano de 1982. Da esquerda para a direita: Bellini, Carlos Alberto Torres, João Rehder e Mauro Ramos de Oliveira. Foto: arquivo pessoal de João Rehder


Da esquerda para a direita, em pé: De Sordi, Jurandir, Gilberto, Bellini, Riberto e Sérgio Lopes. Agachados: não identificado, Nondas, Prado, Benê, Cido e Faustino. Foto enviada por Walter Roberto Peres


Em pé, da esquerda para a direita: Ilzo, Jurandir, Bellini, Dias, Suli e Deleu. Agachados, da esquerda para a direita: Faustino, Cecílio Martinez, Benê, Pagão e Sabino.


Da esquerda para a direita, em pé: De Sordi, Bellini, Jurandir, Riberto, Suli e Sudaco. Agachados: Faustino, Del Vecchio, Benê, Bazaninho e Valdir. Foto enviada por Walter Roberto Peres


Bellini, que imortalizou o gesto de levantar a taça acima da cabeça, presente em mais uma festa. Foto: Sarkis


Nesta foto, três grandes homens. O primeiro em pé, da esquerda para a direita, é Feliz Lacava, o quarto é o capitão do tricampeonato Bellini e o ex-vice-presidente da Federação Paulista de Futebol de Salão, Tsuyoshi Enomura. Foto: Sarkis


Veja que imagem espontânea de Bellini,, o eterno capitão, e Djalma Santos em 24 de março de 1959. A foto é de Demócrito, do extinto jornal Última Hora, e hoje faz parte do Arquivo Público do Estado.


Em 1966, vésperas da Copa na Inglaterra, a Seleção Brasileira treinava em Poços de Caldas, no Estado de Minas Gerais, em pé: Djalma Santos, Bellini, Manga, Edson Cegonha, Fontana e Dudu. Agachados: Nado, Fefeu, Alcindo, Tostão, Edu e Pai Santana. Crédito da Foto: Blog do Michel Laurence


Em tempos de Seleçao... - Em pé: Paulo Henrique, Carlos Alberto, Valdir Joaquim de Moraes, Zito, Djalma Santos, Orlando, Djalma Dias, Gylmar, Denílson, Bellini, Dudu, Leônidas e Santana Agachados: Rildo, Mário Américo, Jairzinho, Paulo Borges, Gerson, Parada,Pelé, Ivair, Servílio, Flávio e Paraná. Fonte: Blog do Michel Laurence /iG


Conceição Duarte, esposa de Orlando Duarte e Giselda Bellini, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, na Avenida Paulista, em São Paulo, no dia 25 de abril de 2011. Foto: Marcos Júnior/Portal TT


Giselda Bellini, Mário Vilela e Orlando Duarte. Ela é esposa do ex-jogador Bellini, e foi levar seu abraço aos autores do livro sobre o São Paulo Futebol Clube, em 25 de abril de 2011. Foto: Marcos Júnior/Portal TT


Em pé: Laerte, Miguel, Paulinho, Bellini, Écio, Orlando, Coronel e Barbosa. Agachados: Roberto Pinto, Sabará, Rubens, Livinho, Delém, Almir, Pinga e Dario. Foto enviada por Tarcísio Vória


Em pé: Savério, Valdemar Carabina, o quinto é Bellini, o sétimo é Gildo e o penúltimo é Hélio Burini. Agachados: o terceiro é Romeiro, o sexto é o Vicente e o décimo é Luis Carlos Feijão. Foto enviada por Vicente Leonardo


Em pé: Carlos Alberto Cavalheiro, Djalma Santos, Bellini, Nilton Santos, Zito e Formiga. Agachados: Garrincha, Didi, Vavá, Dida e Zagalo


Paulinho de Almeida, Carlos Alberto Cavalheiro e Bellini


Em pé: Carlos Alberto Cavalheiro, Paulinho, Bellini, Laerte, Orlando e Coronel. Agachados: Sabará, Vavá, Livinho, Válter e Pinga


Na imagem, o nome de Bellini está grafado de forma incorreta


Em pé, da esquerda para a direita: Paulo Leão, Beraldo, Djalma Dias, Tarciso, Zé Carlos, Bellini, Paulo Borges, Zé Carlos II, Zé Roberto, Orlando e pessoa não identificada. Agachados: Nivaldo, Garrincha, Dirceu Kruger, Tião Abatiá, Lance, Ivair, Toninho, Zé Luis, massagista Ditinho e Paraná. Foto enviada por Moisés Bueno


O primeiro capitão brasileiro em conquistas de Copa do Mundo eternizou o gesto, seguido para sempre, levantando a Taça Jules Rimet, em 1958


O repórter Luis Oliveira esteve no apartamento de Bellini para retratar como era a intimidade do zagueiro. Imagem: Reprodução/Revista do Esporte


Jogo São Bento x São Paulo, disputado no antigo estádio Humberto Reale, em Sorocaba em 21 de Agosto de 1966. O zagueiro Bellini disputa uma bola de cabeça com avante do São Bento. Foto enviada por Walter Roberto Peres


Da esquerda para a direita: Mirandinha, Bellini, Ademir da Guia, Félix e Badeco. Eles fizeram parte do time de professores da Prefeitura de São Paulo, cujo projeto visava à integração dos craques do passado com a garotada carente.


Em evento realizado no Palácio do Planalto, em 1961, o Presidente Jânio Quadros recebeu alguns jogadores da Seleção Brasileira. Na imagem abaixo da esquerda para a direita, o equivalente ao presidente do Sindicato dos jogadores profissionais de futebol de hoje, Gersio Passadore, Belini, Djalma Santos e Gylmar dos Santos Neves (o Goleiro Maior), João Havelange e João Mendonça Falcão, presidente da Federação Paulista de Futebol..


Da direita para a esquerda: o primeiro é Zagallo, Castilho é o segundo, o quarto é Nílton Santos e Bellini é o último


Em pé, da esquerda para a direita: Djalma Santos, Bellini, Charrão, Célio, Nair e Nilo. Agachados: Gildo, Zé Roberto, Madureira, Paulista e Nilson Bocão


Junto com outros imigrantes portugueses, o jovem Albertino Dias fundou o Lusitânia, clube que, ao se fundir ao Vasco, abriu-lhe as portas do futebol. No detalhe acima, a reprodução de uma foto da época; Ernani Dias e a sua esquerda Bellini. Foto reprodução: A Revista Oficial do Club de Regatas Vasco da Gama


Bellini, Gylmar e Djalma Santos


Corinthians e São Paulo em 1966, pelo Rio São Paulo, no Pacaembu. Da esquerda para a direita: Nenê (árbitro), Celso, Belini, jogador do São Paulo não identificado e jogador do Corinthians não identificado. Lá no fundo, a saudosa Concha Acústica. A foto nos foi enviada por Walter Roberto Peres.


Bellini, o ex-zagueiro da seleção, retratado na publicação que homenageia os campeões do mundo. Foto: Reprodução/Revista Show de Bola


Em pé, da esquerda para a direita: Belini, Oswaldo Baliza, Eli do Amparo, Haroldo, Mirim e Jorge. Agachados: Maneca, Vavá, Ipojucan, Pinga, Alvinho e o massagista Mão de Pilão. Aliás, será que o massagista ganhou esse apelido por bater nas pernas dos atletas, como um pilão? A foto nos foi enviada pelo querido José Eustáquio Rodrigues Alves, de Patos de Minas-MG.


Antes de enfrentar o Noroeste, Belini sendo entrevistado por Paulo Sérgio Simonetti (ex-diretor da Rádio Auri-Verde e hoje diretor da 94,5 FM em Bauru). Foto enviada por João Batista C. Ferreira


Bellini levanta, ainda na porta do avião, a taça que o Brasil ganhou em 58


Veja Bellini fazendo a publicidade das camisas Ban-tan Ramenzoni. A revista é a Mundo Ilustrado, de 1958.


Veja o Brasil entrando em campo contra a França, em 1958. O jogo foi 5 a 2 para nossa seleção. O primeiro da fila é Bellini, seguido por Gylmar, Orlando Peçanha, Didi, Garrincha, Zagallo, Nilton Santos, Zito e Vavá. A foto é da revista Mundo Ilustrado.


Recém-campeão do mundo, Bellini estampou a capa da revista Mundo Ilustrado, que custava 10 cruzeiros e que faz parte da história impressa do Brasil.


O capitão Bellini (o segundo homem, da esquerda para a direita) aguarda a homenagem depois da conquista do primeiro título mundial do Brasil, em 58. Enquanto isso, Gylmar chora nos ombros do grande Paulo Machado de Carvalho. Que emoção, hein? A foto é da revista Mundo Ilustrado, edição 28, que saiu no dia 9 de julho de 1958.


José Antônio de Araújo entrevistando o grande Bellini, em jogo amistoso em Muzambinho, no estádio Professor Antônio Milhão. Entre os dois está Benedito Dino, querido amigo de Milton Neves. E encoberto, atrás de José Antônio de Araújo, está Régis Policarpo Dias, o Rato


Em pé da esquerda para a direita: o primeiro é Carlos Alberto Cavalheiro, o segundo é Paulinho, Bellini é o terceiro e o quinto é Coronel. Agachados: o segundo é Vavá, Walter Marciano é o quarto e Pinga é o último


Bela pose do zagueiro com a camisa Cruzmaltina.


Em pé: Djalma Santos, Bellini, Zózimo, Nilton Santos, Gylmar e Roberto Belangero. Agachados: Garrincha, Evaristo, Índio, Didi, Joel Martins e Mário Américo (massagista).


Rivais no campo, mas bons amigos fora dele


O bi-Campeão Mundial está no centro da foto, de camisa quadriculada. Aparecem também Dino Sani, logo atrás de Bellini, Falopa, que dos que estão atrás, é o primeiro da esquerda para a direita, e Jaimão, que aparece do lado direito da foto com uma camisa do São Paulo


Foto do São Paulo de 1965. Em pé: Santinho, Roberto Dias, Bellini, Jurandir, Renato Gaúcho e Suli. Agachados: Alan, Prado, Del Vecchio, Benê e Efraim


Muita chuva (repare nos uniformes enlameados dos jogadores) e confusão neste Palmeiras e São Paulo, no Paulo Machado de Carvalho. Dois jogadores estão caidos no chão (Roberto Dias e Ferrari). Da esquerda para a direita: os dois alviverdes são Valdermar Carabina e Ademir da Guia. O camisa 2 do SãoPaulo é De Sordi, depois Valdir Joaquim de Moraes, Efraim, o árbitro Albino Zanferrari, Bellini, um bandeirinha não identificado, Rinaldo, Jurandir e o centroavante são-paulino é Del Vecchio. Foto enviada por Adriana Gomes, filha de Efraim


Na década de 70. Em pé, da esquerda para a direita: dois dirigentes, Djalma Santos, Ramos Delgado, Bellini, Nilton Santos e dois jogadores não identificados. Agachados: Gildo, Dorval, Hélio Ribeiro, jogador não identificado, Servílio e outro jogador não identificado. Foto enviada por Natália Pedroso


Em pé: Waldomiro, Paulinho, Bellini, Roberto, Zé Coco e Zé Amaro. Agachados: Ademar, Geraldo, Aroldo, Renato e Carolo


Bellini é o segundo da esquerda para a direita, Carolo é o terceiro e Mauro Ramos de Oliveira o quarto


Em pé: Waldomiro, Bellini, Paulinho, Carolo, Zé Coco e Roberto. Agachados: Aroldo, Ademar, Geraldo, Noventa e Ângelo. O garoto é Paulinho Fiori


Em 4 de agosto de 1970. Da esquerda para a direita: Vicente Feola, Alberto Veloso Furtado (diretor da Empresa de Correios e Telégrafos, à frente), repórter não identificado, Marco Antonio, da Rádio Tupi, Renato Guimarães (representando o prefeito Paulo Maluf), Bellini e Mauro Ramos de Oliveira. Arquivo pessoal de Benedito Marcantonio


A Seleção Brasileira jogou um amistoso em Portugal. A partida foi no Estádio das Antas, em 24 de junho de 1965 e o placar foi 0 a 0. Em pé: Djalma Santos, Bellini, Manga, Orlando, Dudu e Rildo.Agachados: Garrincha, Ademir da Guia, Bianchini, Pelé e Rinaldo. Foto enviada por Walter Roberto Peres e publicada na Revista Placar


Zé Amaro em seu primeiro time profissional: a Sociedade Esportiva Sanjoanense. Em pé: Bellini (no início da carreira), Ari, Isaac, Orestes, Paulinho, Dias, Gaiola, Zé Coco e Valdomiro. Agachados: Velau, Omar, Geraldo, Ubirajara, Haroldo, Zé Amaro e Roberto Natalino


Novamente, na Esportiva Sanjoanense. Em pé: o massagista Joanin Ciacco, Bellini, Dias, Valdomiro, Zé Coco, Ari, Natalino e o técnico Tito Rodrigues. Agachados: Haroldo, Ângelo, Noventa, Zé Amaro e Oliveira (pai do atacante Careca - ex-São Paulo)


Zé Amaro em seu primeiro time profissional: a Sociedade Esportiva Sanjoanense. Em pé: Bellini (no início da carreira), Ari, Isaac, Orestes, Paulinho, Dias, Gaiola, Zé Coco e Valdomiro. Agachados: Velau, Omar, Geraldo, Ubirajara, Haroldo, Zé Amaro e Roberto Natalino.


A multinacional Braniff também saudou o Tri do Brasil em 1970. Bellini é o primeiro, Mauro Ramos é o segundo e Carlos Alberto ocupou o lugar vazio da foto. Bonita a homenagem!


Gylmar, Mazzola e Belini em anúncio de camisa


Em pé: Barbosa, Dario, Bellini, Écio, Orlando e Coronel. Agachados: Sabará, Rubens, Almir, Vavá e Pinga.


Combinado Santos-Vasco. A foto foi publicada pela "A Tribuna", de Santos, em 1957. Em pé, da esquerda para a direita: goleiro não-identificado, Paulinho de Almeida, Ivan, Bellini, Urubatão e Brauner. Agachados: jogador não-identificado, Pelé, Álvaro, Jair e Pepe


Flávio, com a bola, durante treino da Seleção Brasileira em 1966. Atrás, apitando a "pelada", Paulo Amaral. Com as mãos na cintura aparece o eterno capitão Bellini. A foto foi tirada por Jader Neves.


A partir da esquerda: Nílton Santos, Dino Sani, Castilho, Bellini, Carlos Alberto Cavalheiro, Moacir, Dida, Joel, Mazzola, Zagallo e Pelé. Reparem os trajes dos jogadores. Crédito foto: Arquivo Nacional


Em São José do Rio Pardo, três amigos: Bellini, Salvadori e Velau


1962. Edição comemorativa da revista "O Cruzeiro" em homenagem ao bicampeonato no Chile. Nesse ano, o presidente João Goulart (que governou o Brasil de 61 a 64 e foi deposto do poder) recebeu os craques da seleção. Na foto vemos, da esquerda para a direita, Bellini, "Jango" e Mauro Ramos de Oliveira


1962. Edição comemorativa da revista "O Cruzeiro" em homenagem ao bicampeonato no Chile. Nesse ano, o presidente João Goulart (que governou o Brasil de 61 a 64 e foi deposto do poder) recebeu os craques da seleção. Na foto vemos, da esquerda para a direita, Bellini, "Jango" e Mauro Ramos de Oliveira


Que timaço de veteranos. Imagine quanto trabalho daria se tivesse realmente atuado junto algum dia profissionalmente. Vemos em pé Djalma Santos, Renato, Minuca, Djalma Dias, Bellini e Oreco e agachados Garrincha, Lima, Paulo Borges, Negreiros e Paraná


Seleção brasileira com Djalma Santos, Zito, Bellini, Nilton Santos, Vitor e Gilmar em pé e Mário Américo, Garrincha, Chinesinho, Pelé, Quarentinha e Pepe


A torcida de Campos do Jordão desenhou um colar de diamantes em homenagem à Seleção Brasileira que, meses depois, seria bicampeã do mundo, em 1962. A foto não é linda? E era só treino das seleções A e B, de Aimoré Moreira. Da esquerda para a direita, estão: De Sordi, Jair da Costa, Prado, Didi, Calvet, Altair, Zito, Pelé, Zagallo, Airton Pavilhão, Gylmar, Bellini, Laércio, Jair Marinho, Amarildo, Aldemar, Rildo, Zequinha, Pepe, Garrincha, Vavá e Mengálvio. A foto-relíquia é do livro "O Eterno Futebol", autobiografia do saudoso Mário Trigo, dentista da seleção nas vitoriosas campanhas da Suécia, Chile e México.


O álbum-relíquia é do livro "O Eterno Futebol", autobiografia do saudoso Mário Trigo, dentista da seleção nas vitoriosas campanhas da Suécia, Chile e México.


Mário Trigo, com o agasalho da seleção brasileira, assiste à missa, em Serra Negra-SP, às vésperas da Copa do Mundo de 1966, na Inglaterra. Na mesma fileira, o ex-centroavante Flávio Minuano é o 1º da esquerda para a direita. Repare que a cabeça de Mário Trigo está exatamente entre Silva e Bellini, ambos sentados atrás. A foto-relíquia é do livro "O Eterno Futebol", autobiografia do saudoso Mário Trigo, dentista da seleção nas vitoriosas campanhas da Suécia, Chile e México


Da esquerda para a direita: João Goulart, então vice-presidente da República, o presidente Juscelino Kubitschek, o capitão Bellini e o ministro Geraldo Starling. Ao fundo, à direita, Dr. João Havelange. A foto-relíquia de 1958 é do livro "O Eterno Futebol", autobiografia do saudoso Mário Trigo, dentista da seleção nas vitoriosas campanhas da Suécia, Chile e México


Em 2006, o dentista Mário Trigo se reencontrou com o capitão da Copa de 58, Bellini, no Rio. Ele assinou para o ex-zagueiro a sua biografia, lançada no ano anterior. Foto: CBFNews


No final dos anos 50, Vasco e Santos eram a base da seleção brasileira com o "reforço" do Botafogo. Em pé: Djalma Santos, Castilho, Bellini, Formiga, Orlando e Coronel. Agachados: Garrincha, Didi, Almir, Pelé, Chinesinho e Mário Américo.


Uma das formações da Seleção Brasileira na fase de preparação para a Copa do Mundo de 1962: Djalma Santos, Bellini, Zito, Calvet, Castilho e Nílton Santos; agachados: massagista Santana, Garrincha, Didi, Coutinho, Pelé, Pepe e o massagista Mário Américo. Crédito foto: Arquivo CBF


Augusto está na seleção de todos os tempos do Vasco. Em pé: Antônio Lopes, Augusto, Barbosa, Bellini, Mauro Galvão, Felipe e Danilo Alvim. Agachados: Ipojucan, Edmundo, Ademir de Menezes, Roberto Dinamite e Romário


O preparador físico Paulo Amaral, Gilmar, Zagallo, Bellini, Garrincha, Nílton Santos, Zito, Vavá, o médico Hilton Gosling, Pelé, Pepe (com o boné), Dida (de terno), Djalma Santos, De Sordi (com agasalho) e Orlando (encoberto) na volta olímpica após o título de 1958. Foto crédito: Arquivo/CBF


Da esquerda para à direita: Bellini, o técnico Feola e Gylmar posam com a taça Jules Rimet. Foto crédito: Arquivo/CBF


O capitão Bellini cumprimenta o sueco momentos antes do confronto final de 1958. Veja na imagem o olhar gélido da fiscal da arbitragem. Foto crédito: Arquivo/CBF


Bellini cumprimenta o capitão da Inglaterra. O Brasil enfrentou o "English Team" na terceira rodada da Copa da Suécia, em 1958. Foto crédito: Arquivo/CBF


No Palácio do Planalto, no dia 26 de junho de 2008, o capitão da Copa do Mundo de 1958, Bellini, repete o gesto que é imitado até hoje. Na foto da esquerda para à direita: Djalma Santos, Bellini, João Havelange,o minsitro Orlando Silva e Zito. Agachados: Moacir, Mazzola, o presidente Lula, O rei Pelé, Zagallo e Dino Sani. Foto crédito: AFP/iG


No dia 26 de junho de 2008, o Presidente da República, Lula, recebeu os jogadores campeões mundiais de 1958. Na foto da esquerda para à direita de cima para baixo: o Ministro dos esportes, Orlando Silva, o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, o ex-presidente da CBD, João Havelange, o Presidente Lula,o único tetra campeão mundial pela Seleção Brasileira, Zagallo, o vice-presidente da república, José Alencar, o ex-meia Moacir, o presidente da Câmara dos deputados, Arlindo Chinaglia. Na segunda fileira estão: o ex-volante Dino Sani,o ex-lateral Djalma Santos,De Sordi, tiular de 58, no início da Copa, o capitão Bellini, o Rei Pelé, o ex-volante Zito, o ex-zagueiro Orlando, o ex-atacante Mazzola e o ex-ponta-esquerda, Pepe. Foto crédito: AFP/iG


Reunião de boleiros em São Paulo, em 1970: Gino Orlando é o penúltimo sentado, à direita. Bellini, á época ainda galã, sentado, está de camisa pólo preta. E do seu lado direito, você vê Barbirotto, pai do ex-goleiro do São Paulo de mesmo nome. O histórico Elias, do "Bar do Elias", é o primeiro em pé, à esquerda. E o último, à direita, é Alfredo Ramos, o Polvo. José Douglas Dallora, ex-presidente do São Paulo, é o quarto, também em pé, da direita para a esquerda


 


Atlético Paranaense durante a Taça de Prata de 1968 com Nilo, Zé Carlos, Célio, Bellini, Charrão e Nair em pé e Gildo, Zé Roberto, Madureira, Paulista e Nílson agachados


Vejam o grande capitão Bellini antes de mais uma partida pela Seleção Brasileira. É fácil perceber pelo semblante dos jornalistas que estavam ao lado que o tom da conversa dele com o árbitro deveria estar sendo ameno


Vejam um combinado que participou de um jogo festivo na cidade paulista de Itapira. Bellini é o segundo, Gylmar o quarto, Alfredo Ramos o sétimo, Zé Carlos Silvério é o oitavo, Cássio o nono, Laércio o décimo-primeiro, seguido por Vicente Feola, Luiz Noriega, José Poy e Gerdy Gomes; agachados vemos Walter Zum-zum (primeiro), Pepe (o quarto) e Plínio


Esta foto foi tirada antes de duelo entre Guarapuava e Atlético pelo Campeonato Paranaense no final da década de 1960. Da esquerda para a direita em pé Silvano é o segundo, Djalma Santos o terceiro, Passarinho o quarto e Bellini o quinto


O Brasil de camisa azul na decisão da Copa do Mundo de 1958 contra a Suécia. Com atuação de gala de Pelé, vitória brasileira por 5 a 2 e o primeiro título mundial de nosso país. Em pé estão Djalma Santos, Zito, Bellini, Nilton Santos, Orlando e Gilmar; agachados vemos Garrincha, Didi, Pelé, Vavá, Zagallo e Mário Américo


Em pé: Deleu, Serafim, Leal, Jurandir, Bellini e Suli. Agachados: Faustino, Marco Antonio, Prado, Bazaninho e Valdir Birigui. A foto foi tirada pelo saudoso, excelente e inesquecível Sarkis


Em pé: Bellini, Jurandir, Riberto, Leal, Suli e Deleu. Agachados: Cecílio Martinez, Baiano, Benê, Cido e Canhoteiro


Em mais um São Paulo x Corinthians, no Pacaembu, Flávio tenta marcar para o Timão. O capitão são-paulino Bellini observa. E o goleiro? Seria Suli?


Festival de televisão do Sul de Minas. O Trespontano reforçado por Valdir de Moraes (segundo de pé), Bellini (sétimo de pé), Walter Zum-Zum, Vicente e Sérgio Echigo (os três primeiros agachados. Ainda em pé Maciel (terceiro), Jorge Correia (o quinto) e Didi (o quarto).


Em pé: Oswaldo Cunha, Nenê, Bellini, Adevaldo, Tenente e Fábio. Agachados: Ferreti, Prado, Babá, Benê e Fefeu


Vejam a Seleção Brasileira em amistoso no Maracanã em 1965. Reprodução de foto publicada no saudoso jornal "A Gazeta Esportiva". Em pé estão Djalma Santos, Bellini, Manga, Orlando, Rildo e Dudu; agachados estão Garrincha, Ademir da Guia, Flávio, Pelé e Rinaldo


Seleção brasileira de 1965. Da direita para a esquerda: Bianchini, Manga, Roberto Dias, Paraná, Gérson, Rildo (de costas) e Bellini.


Esta foto maravilhosa mostra os jogadores perfilados quando da primeira convocação para a Seleção Brasileira que iria disputar, dias depois, a Copa do Mundo do Chile de 1962. Na primeira fila de cima para baixo, o primeiro é Aimoré Moreira, o segundo é o dentista Mario Trigo, o terceiro é o médico Hilton Gosling, o quinto é o preparador físico Paulo Amaral e o sétimo é o supervisor Carlos Nascimento; na segunda fila vemos Gilmar, Calvet, Quarentinha, Mauro, Airton Pavilhão, Bellini e o massagista Santana; na terceira fila vemos Didi, Djalma Santos, Pepe, Jurandir, Mengálvio, Nilton Santos, Vavá, Castilho, Julinho e Altair; entre Didi e Djalma Santos, vemos o roupeiro Chicão; na primeira fila de baixo para cima vemos Mário Américo, Coutinho, Jair da Costa, Germano, Rildo, Amarildo, Jair Marinho, Zito, Zagallo, Pelé, Garrincha e Zequinha; atrás de Mário Américo, o grande goleiro Valdir Joaquim de Moraes


O São Paulo, na Europa, em 1964: Del Vecchio, Faustino, Virgílio (atrás), Valdir Birigui, Gilberto, Pagão (atrás), Nondas, Suli (atrás), Sudaco, Bellini, De Sordi, Marco Antonio, Orlando Duarte, João Leal Neto, Riberto, duas pessoas não identificadas e o médico, o saudoso Dr. Dalzel Freire Gaspar


Acima, em montagem especial, confira todos os campeões mundiais pelo Brasil na Copa de 58, na Suécia.


Um duelo de paulistas x cariocas, no Maracanã, em 1960: Dino, Mauro, Bellini e Djalma Santos, quatro campeões mundiais de 1958


O São Paulo diante de um Morumbi deserto. Em pé temos Bellini, Dias, Tenente, Renato, Suly e Jurandir; agachados estão Valdir Birigui, Zé Roberto, Prado, Valter e Paraná


Clássico entre São Paulo e Corinthians em 1966. Bellini sobe para afastar o perigo diante do corintiano Nei Oliveira


Brasil 1958. Em pé: De Sordi, Zito, Bellini, Nilton Santos, Orlando e Gylmar. Agachados: Garrincha, Didi, Pelé, Vavá, Zagallo e Mário Américo.


Na "Revista do Esporte", o trio final inesquecível do Vasco da Gama: Bellini, o goleiro Barbosa e Paulinho de Almeida.


pé, da esquerda para a direita, na famosa equipe do Milionários: integrante da comissão técnica, jogador não identificado, Turcão (ex-Palmeiras e São Paulo), dois jogadores não identificados, Geraldo Scotto (ex-Palmeiras), Zezé Accula (ex-Esportiva de Guaxupé), Aguinaldo, Bellini (nosso capitão no Mundial de 58), Capitão e outro integrante da comissão técnica. Agachados: um diretor, o massagista, três jogadores não identificados, Ramos Delgado (ex-Santos), Dorval (ex-Santos), jogador não identificado, Benê (ex-São Paulo) e Canhoteiro (ex-São Paulo


 


 


Pampolini, Lance, Garrincha, Djalma Santos, Nilton Santos e Bellini: eles ainda defenderam o romântico Milionários FC por puro amor ao futebol. A foto é do dia 26 de agosto de 1976


 


 


 


 


 


Em pé: Paulinho de Almeida, Castilho, Bellini, Écio Capovila, Orlando e Coronel. Agachados: Sabará, Almir, Henrique Frade, Décio Esteves e Pinga


 


 


Veja Bellini, com a bola na mão, em uma das reuniões de ex-jogadores organizadas pelo São Paulo


 


 


 


 


 


 


 


 


 


Aqui está uma das formações da Seleção Brasileira de 1959, na cidade de Atibaia-SP. Em pé: Djalma Santos, Bellini, Dino Sani, Geraldo Scotto, Vítor, Gilmar e Vicente Feola. Agachados: Mário Américo, Julinho Botelho, Almir, Chinesinho, Delém e Roberto. O mascote da foto, esse garotinho agachado, é o advogado Antonio Carlos Sandoval Catta-Pretta


 


 


 


Aqui está uma das formações da Seleção Brasileira de 1959, na cidade de Atibaia-SP. Em pé: Djalma Santos, Bellini, Dino Sani, Geraldo Scotto, Vítor, Gilmar e Vicente Feola. Agachados: Mário Américo, Julinho Botelho, Almir, Chinesinho, Delém e Roberto. O mascote da foto, esse garotinho agachado, é o advogado Antonio Carlos Sandoval Catta-Pretta


No dia 26 de junho de 2008, o filho de Bellini, Júnior, repetiu 50 anos depois o gesto importalizado pelo pai, em homenagem feita pelo São Paulo FC. Foto: Rubens Chiri/Site Oficial do SPFC


 


Confira um São Paulo diferente com uma camisa criada pelo jornalista Paulo Planet Buarque, à época conselheiro e Diretor do Departamento de Futebol do Tricolor. Pedro Luiz Boscato, nosso atento colaborador, tem uma história sobre esta camisa, usada pelo São Paulo em três oportunidades: "Uma foi essa da foto, no dia 04 de setembro de 1966, a que eu assisti, no Pacaembu, outra foi no dia 04 de dezembro do mesmo ano, São Paulo 2x1, Armando Marques validou um gol de Rivellino que não foi, a bola foi fora furou a rede e entrou. Além de dar o gol ele ainda expulsou dois jogadores do São Paulo. Em pé, da esquerda para a direita: Osvaldo Cunha, Tenente, Bellini, Carlos Alberto Rodrigues, Fábio e Nenê. Agachados: Paraná, Prado, Babá, Fefeu e Adíber


 


 


 


 


 


Encontro de amigos de São João da Boa Vista. Leivinha está à frente, de copo na mão e boné. O primeiro à esquerda é o grande zagueiro Mauro Ramos de Oliveira. Bellini é o segundo da direita para a esquerda


Aqui, o jornalista tinha apenas cinco anos de idade e posou com a camisa da Seleção Brasileira em São João da Boa Vista ao lado do grande capitão Bellini, logo após a Copa de 1958 na Suécia. O craque esteve na cidade revendo amigos da Sociedade Esportiva Sanjoanense, clube que defendeu antes de se transferir para o Vasco da Gama


Da esquerda para a direita, o terceiro é Bellini, logo após o senhor de boné branco. O quinto é Finazzi


Nos ano 90, Kitty Balieiro entrevistando Bellini. Foto: Reprodução


Antes de jogo do Cosmos de Nova York em meados dos anos 70. Da esquerda para a direita: Beckenbauer, Carlos Alberto Torres, Bellini, Mauro Ramos de Oliveira, Bobby Moore e Muhammad Ali. Foto: Divulgação


Vasco campeão do Torneio Octogonal em 1953. Bellini, Hernani, Eli, Mirim, Danilo Alvim e Jorge. Agachados: Sabará, Maneca, Ipojucan, Pinga e Djair.


Vasco em 1956. Em pé: Carlos Alberto Cavalheiro, Paulinho de Almeida, Bellini, Laerte, Orlando Peçanha e Coronel. Agachados: Sabará, Vavá, Livinho, Walter Marciano e Pinga. A foto é da Revista Manchete Esportiva, 42, de 1956


Bellini na capa da Revista Manchete Esportiva, 42, de 1956


Augusto, Osvaldo Baliza e Bellini na capa da Revista Esporte Ilustrado, 793, de 1953


Gylmar, Pelé e Bellini se arriscando no golfe, na concentração da seleção brasileira durante o Sul-Americano de 1959. A Foto é da Revista Manchete Esportiva, 174


Bellini com a taça Jules Rimet, no Anuário de Ouro de 1959, da Revista Manchete Esportiva


Bazzani e Bellini se cumprimentam antes de um confronto entre Ferroviária e São Paulo em Araraquara. Ao fundo, Pio, que depois defendeu o Palmeiras. Foto: Reprodução


Curiosa capa da Revista Manchete Esportiva, 99, de 1957, Belline e Pavão beijando carinhosamente a cantora Angela Maria


Marco Aurélio Cunha ao lado de duas lendas do São Paulo, Roberto Dias e Bellini


Seleção brasileira no Sul-Americano de 1959, na Argentina.


Paulinho de Almeida, Ita e Bellini, no Vasco, em 1961. Foto enviada por Roberto Saponari


Time do Atlético-PR da década de 1960. Em pé, da esquerda para a direita: Djalma Santos, Nilo, Nair, Charrão, Célio e Bellini. Agachados: Dorval, Zé Roberto, Madureira, Paulista e Nilson. Foto: reprodução.


Time do Atlético-PR da década de 1960. Em pé, da esquerda para a direita: Djalma Santos, Bellini, Célio, Charrão, Nair e Nilo - agachados: Gildo, Zé Roberto, Madureira, Paulista e Nilson Bocão. Foto: reprodução.


Didi ao lado de Bellini, antes do clássico pelo Campeonato Carioca do dia 27 de agosto de 1960, realizado no Maracanã, com o placar final de de 2 a 0 para o Vasco da Gama sobre o Botafogo. Foto enviada por Roberto Saponari


Bellini sangrando após jogo do Vasco, em 1961. Ao que tudo indica, tais impactos na cabeça durante a carreira foram a causa do distúrbio neurológico contra o qual Bellini lutou nos último anos de sua vida, conhecido como Encefalopatia Traumática Crônica. A colorização digital da foto foi feita por Reinaldo Elias. Foto: Reprodução


Brasil 1 x 0 País de Gales, quarto jogo da Copa do Mundo de 1958. Da esquerda para a direita, em pé: De Sordi, Zito, Bellini, Nilton Santos, Orlando Peçanha e Gylmar dos Santos Neves. Agachados: Garrincha, Didi, Mazzola, Pelé e Mário Américo. Foto enviada por José Eustáquio


Brasil 0 x 0 Inglaterra, segundo jogo da Copa do Mundo de 1958. Da esquerda para a direita, em pé: De Sordi, Dino Sani, Bellini, Nilton Santos, Orlando Peçanha e Gylmar dos Santos Neves. Agachados: Mário Américo, Joel Martins, Didi, Mazzola, Vavá e Zagallo. Foto enviada por José Eustáquio


Brasil 3 x 0 Áustria, primeiro jogo da Copa do Mundo de 1958. Da esquerda para a direita, em pé: De Sordi, Dino Sani, Bellini, Nilton Santos, Orlando Peçanha e Gylmar dos Santos Neves. Agachados: Mário Américo, Joel Martins, Didi, Mazzola, Dida e Zagallo. Foto enviada por José Eustáquio


Em 1961. Pelo lado do Santos, Mauro Ramos de Oliveira e defendendo o Vasco da Gama, Bellini. Foto enviada por Roberto Saponari


Treino físico da Seleção Brasileira. Da esquerda para a direita, à frente: Bellini, Castilho e Gylmar dos Santos Neves. Atrás: Joel (ex-Botafogo), Vavá, Aldemar, Jurandir, Pepe, Mengálvio, Djalma Dias, Zózimo, Rildo, Nilton Santos, Calvet, Quarentinha, Laércio e Zito. Foto enviada por José Eustáquio


Em 2015 foi lançado o livro-biografia do ex-jogador, Bellini: O Primeiro Capitão Campeão. Foto: reprodução


Bellini e Silvia, filha do ex-jogador Mauro Ramos de Oliveira. Foto: reprodução


Festa de premiação dos melhores do Paulistão de 2000. Da esquerda para a direita, Ademir da Guia, Zito, Vanderlei Luxemburgo, Luis Pereira, Bellini, Djalma Santos e Gylmar dos Santos Neves


Seleção Brasileira, no estádio do Maracanã em 1965. Da esquerda para a direita, em pé: Djalma Santos, Bellini, Manga, Orlando, Rildo e Dudu. Agachados: Mário Américo, Garrincha, Ademir da Guia, Flávio Minuano, Pelé, Rinaldo e Pai Santana


Hilderaldo Luís Bellini, Silvio Natacci e Gylmar dos Santos Neves. Foto: Arquivo pessoal Silvio Natacci


Em 1968, antes do amistoso entre Atlético-PR e a seleção romena. Em pé, da esquerda para a direita: César (massagista), Djalma Santos, Amauri, Zito, Bellini, Tito e Barbosa. Agachados: Dorval, Jair Henrique, Waldir Galli, Ivan e Pepe. Colabolaram com a legenda Lycio Vellozo Ribas e Mário Celso Cunha


Em 1968, o Atlético-PR realizou um amistoso diante da Romênia contando com nada menos que Pepe, Bellini, Djalma Santos, Dorval e Zito. Bellini, Djalma e Dorval eram atletas do Furacão, enquanto Zito e Pepe foram convidados para reforçar a equipe na partida. Foto enviada por Wesley Miranda


Bellini abraça o técnico vascaíno Gradim. Foto enviada por José Eustáquio Rodrigues Alves


No domingo, 23 de março de 2014, o jornal Tribuna de Itapira fez uma edição especial somente sobre o enterro de Bellini, natural da cidade do interior paulista, que morreu no dia anterior. Confira página a página 12. Foto: Reprodução/Tribuna de Itapira


No domingo, 23 de março de 2014, o jornal Tribuna de Itapira fez uma edição especial somente sobre o enterro de Bellini, natural da cidade do interior paulista, que morreu no dia anterior. Confira as páginas 10 e 11. Foto: Reprodução/Tribuna de Itapira


No domingo, 23 de março de 2014, o jornal Tribuna de Itapira fez uma edição especial somente sobre o enterro de Bellini, natural da cidade do interior paulista, que morreu no dia anterior. Confira as páginas 8 e 9. Foto: Reprodução/Tribuna de Itapira


No domingo, 23 de março de 2014, o jornal Tribuna de Itapira fez uma edição especial somente sobre o enterro de Bellini, natural da cidade do interior paulista, que morreu no dia anterior. Confira as páginas 6 e 7. Foto: Reprodução/Tribuna de Itapira


No domingo, 23 de março de 2014, o jornal Tribuna de Itapira fez uma edição especial somente sobre o enterro de Bellini, natural da cidade do interior paulista, que morreu no dia anterior. Confira as páginas 4 e 5. Foto: Reprodução/Tribuna de Itapira


No domingo, 23 de março de 2014, o jornal Tribuna de Itapira fez uma edição especial somente sobre o enterro de Bellini, natural da cidade do interior paulista, que morreu no dia anterior. Confira as páginas 2 e 3. Foto: Reprodução/Tribuna de Itapira


No domingo, 23 de março de 2014, o jornal Tribuna de Itapira fez uma edição especial somente sobre o enterro de Bellini, natural da cidade do interior paulista, que morreu no dia anterior. Confira a capa do periódico. Foto: Reprodução/Tribuna de Itapira


Na sexta-feira, 21 de março de 2014, o jornal Tribuna de Itapira fez uma edição especial somente de Bellini, natural da cidade do interior paulista, que morreu no dia anterior. Confira a página 6. Foto: Reprodução/Tribuna de Itapira


Na sexta-feira, 21 de março de 2014, o jornal Tribuna de Itapira fez uma edição especial somente do Bellini, natural da cidade do interior paulista. Confira as páginas 4 e 5. Foto: Reprodução/Tribuna de Itapira


Na sexta-feira, 21 de março de 2014, o jornal Tribuna de Itapira fez uma edição especial somente do Bellini, natural da cidade do interior paulista. Confira as páginas 2 e 3 do periódico. Foto: Reprodução/Tribuna de Itapira


Na sexta-feira, 21 de março de 2014, o jornal Tribuna de Itapira fez uma edição especial somente do Bellini, natural da cidade do interior paulista. Confira a capa do periódico. Foto: Reprodução/Tribuna de Itapira


Armando Marques expulsa Pelé do gramado do Pacaembu, no jogo do "cai-cai", em que o São Paulo venceu o Santos por 4 a 1, no dia 15 de agosto de 1963. Além de Pelé, Marques mostrou cartão vermelho também para Coutinho. Na volta do intervalo, os santistas, indignados com a arbitragem, passaram a simular contusões para que a partida terminasse. Na imagem, além do Rei do Futebol e de Armando Marques, aparecem também Pepe, Bellini e o repórter Tom Barbosa, encoberto por Pelé


A foto é de 15 de novembro de 1964. Nela estão da, esquerda para direita, em pé, Mosquito, jogador de basquete, o terceiro, Bellini o quarto, Poy é o sétimo e Roberto Dias o oitavo. O internauta Wilson Tannuri, com oito anos, está lá atrás, entre Mosquito e Bellini. Esta foto foi tirada em um colégio de padres na zona norte de São Paulo. Foto: Wilson Tannuri


Orlando, Marcos Falopa e Bellini, em festa com antigos jogadores de futebol.


Jaimão, Dino Sani, rubens minelli e Bellini


O jornal "A Folha Regional", de Muzambinho, relembrou o dia que Bellini visitou a cidade mineira


Vascaínos - Walter, Bellini e Pinga. Foto retirada do blog Tardes de Pacaembu


Clube Atlético Paranaense - Djalma Santos e Bellini encerraram suas vitoriosas carreiras no Furacão


Defensores do Vasco da Gama - Da esquerda para a direita: Paulinho de Almeida, Barbosa e Bellini


Foto incrível da Copa de 1962 - Atrás, da esquerda para a direita, aparecem Coutinho, Mengálvio e Bellini. À frente, o elegante Pelé e Jair Marinho


Bellini em dois momentos


Vasco em 1951. Da esquerda para a direita, em pé: Barbosa, Eli, Bellini, Aldemar, Wilson e Jorge. Agachados: Friaça, Ipojucan, Ademir Meneses, Alvinho, Jansen e Mario Américo. Foto enviada por José Eustáquio


Seleção posou para a foto antes da vitória por 5 a 2 contra a Suécia, na final da Copa de 1958. De pé, da esquerda para direita: Djalma Santos; Zito; Bellini; Nilton Santos; Orlando e Gylmar. Agachados, da esquerda para a direita: Garrincha, Didi, Pelé, Vavá, Zagallo e Mário Américo. Foto: UOL

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa