Na final da Copa do Rei, o Valencia venceu o Barça, por 2 x 1. (Foto: Marcelo Del Pozo/Reuters)

Na final da Copa do Rei, o Valencia venceu o Barça, por 2 x 1. (Foto: Marcelo Del Pozo/Reuters)

Do UOL, em São Paulo

O Valencia finalizou a temporada 2018/19 com título depois de 11 anos de jejum de conquistas. A equipe enfrentou o Barcelona hoje na final da Copa do Rei, no estádio Benito Villamarín, e venceu por 2 a 1, com gols anotados no primeiro tempo, por Gameiro e Rodrigo.

No ano em que comemora seu centenário, o Valencia voltou a conquistar um título após 11 anos -- o último havia sido a Copa do Rei de 2007/08. Em campo, a equipe não deu espaços no primeiro tempo para o irreconhecível Barcelona, que errou muito na defesa. No segundo tempo, com Lionel Messi, o Barça diminuiu, e seguiu pressionando até o fim da última partida oficial do futebol espanhol.

O melhor: Coquelin
O volante Coquelin teve atuação praticamente irretocável. Dominando o meio de campo, o jogador foi o responsável por segurar os ímpetos do ataque do Barcelona, e ainda ajudou no apoio ao ataque do Valencia.

O pior: Alba
O lateral esquerdo Jordi Alba, assim como toda a defesa do Barcelona, não teve um bom rendimento em Sevilha. O espanhol não conseguiu encaixar sua marcação e falhou nos dois gols do rival. No primeiro, levou drible desconcertante de Gameiro; no segundo, perdeu na corrida para Soler, que deu assistência para Rodrigo.

Messidependência
Com Suárez se recuperando de lesão no joelho, Lionel Messi não teve com quem dividir a responsabilidade no ataque do Barcelona. Com Coutinho e Sergi Roberto - e Malcom no segundo tempo -, abaixo do ritmo do argentino, o Barcelona sofreu para atacar o Valencia. No segundo tempo, o time de Valverde procurou Messi em quase todas as jogadas ofensivas, e conseguiu descontar na insistência, com o argentino balançando as redes.

Piqué salva Barcelona em cima da linha Com cinco minutos de jogo, o torcedor do Barcelona comemorou uma jogada de Piqué como se fosse um gol. O zagueiro Lenglet se atrapalhou com a bola nos pés, na cabeça da área, e tentou tocar para Piqué, mas mandou a bola nos pés de Rodrigo, que driblou Cillessen e finalizou rasteiro. Com ótimo senso de cobertura, o experiente zagueiro Piqué, de carrinho, tirou a bola em cima da linha e salvou o Barcelona.

Valencia aproveita vacilo da defesa
Melhor em campo, o Valencia não demorou para balançar as redes. Depois de Rodrigo perder chance incrível, o ataque da equipe voltou a funcionar bem, em mais um erro de posicionamento da defesa de Ernesto Valverde. Em contra-ataque, Gayá recebeu belo passe de Gabriel Paulista e tocou para Gameiro, livre na entrada da área, driblar Alba e chutar firme no centro do gol.

Rodrigo se redime e amplia para o Valencia
O Barcelona seguiu errando muito em campo e voltou a dar espaços para o Valencia construir nova jogada em velocidade e ampliar. Soler ganhou de Jordi Alba na corrida e cruzou para Rodrigo se redimir e, de cabeça, fazer o segundo gol do Valencia, escancarando os erros defensivos do Barça na partida, que não conseguiu cobrir as jogadas laterais no primeiro tempo.

Desorganizado, Barcelona esbarra na falta de criatividade
Os catalães entraram em campo sem Suárez e Dembelé no ataque, e sentiram muito as ausências dos atletas. Com Messi isolado na entrada da área, o Barça pouco finalizou e esbarrou na falta de criatividade, com Coutinho bem marcado pelo lado esquerdo. Pela direita, Semedo pouco apoiou, já que precisava ajudar na marcação. Arthur, que se recuperou de lesão recentemente, ficou sobrecarregado no meio de campo e viu Soler e Gonçalo Guedes levarem a melhor no setor. Na melhor chance da equipe no primeiro tempo, Messi finalizou de perna esquerda, de fora da área e Doménech salvou.

Barça melhora, e Messi marca
No segundo tempo, o técnico Ernesto Valverde realizou duas mudanças, ainda no intervalo, com as entradas de Malcom e Vidal. Apesar das alterações, o que mais ajudou o time no segundo tempo foi o recuo absoluto do Valencia, que passou a defender com os 11 jogadores atrás da linha da bola. Com a bola nos pés de Messi, o Barça teve suas melhores chances. O craque argentino, em jogada característica, chegou a driblar quatro jogadores na pequena área e mandar a bola na trave. Minutos depois, Messi aproveitou rebote do goleiro em cobrança de escanteio e diminuiu o placar.

Pressionando até o fim, o Barcelona não teve chances claras de gols, mesmo com quatro cobranças de escanteio. Já nos acréscimos, Gonçalo Guedes perdeu dois gols em velozes contra-ataques.

Marcelino vence Barcelona pela primeira vez
O técnico Marcelino Garcia Toral começou a partida no banco de reservas com um tabu a ser quebrado. Em 20 partidas contra o Barcelona, o treinador não havia vencido o rival em nenhum jogo. Para piorar, Barça havia perdido apenas dois dos últimos 29 jogos contra o Valencia. Em campo, no entanto, os comandados de Toral foram superiores e ajudaram o treinador a vencer o Barcelona pela primeira vez e, de quebra, conquistar seu primeiro título como profissional.

Valencia termina temporada em alta
Depois de beliscar a última vaga à Liga dos Campeões pelo Campeonato Espanhol, ao terminar na quarta colocação, o Valencia coroou a temporada 2018/19 com título da Copa do Rei. Caso não perca nenhum de seus principais jogadores na janela de transferências, a equipe de Marcelino Toral pode voltar a surpreender no próximo ano, com futebol bem organizado e cirúrgico no ataque.

FICHA TÉCNICA
Barcelona 1 x 2 Valencia
Data: 25 de maio de 2019
Local: estádio Benito Villamarín, em Sevilha (ESP)
Hora: 16h (de Brasília)
Árbitro: Alberto Undiano Mallenco
Assistentes: Iñigo Prieto López de Ceraín e Roberto Alonso Fernandez Cartões amarelos: Vidal (Barcelona); Gayá e Kondogbia (Valencia)

GOLS: Gameiro aos 21 minutos e Rodrigo Moreno aos 32 minutos do primeiro tempo (Valencia); Lionel Messi aos 27 minutos do segundo tempo (Barcelona)

Barcelona: Cillessen; Semedo (Malcom), Piqué, Lenglet e Alba; Busquets, Arthur (Vidal) e Rakitic (Aleñá); Sergi Roberto, Coutinho e Messi Técnico: Ernesto Valverde

Valencia: Doménech; Wass, Garay, Gabriel Paulista e Gaya; Carlos Soler, Parejo (Kondogbia) e Coquelin; Gonçalo Guedes, Kevin Gameiro (Piccini) e Rodrigo Moreno (Diakhaby) Técnico: Marcelino García Toral

(Foto: Marcelo Del Pozo/Reuters - retirada do UOL)

Você também vai gostar

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Pal
    22
  • 2 San
    20
  • 3 Fla
    17
  • 4 Int
    16
  • 5 Atl
    16
  • Veja tabela completa