Descubra quem foi o melhor e o pior de cada time

Descubra quem foi o melhor e o pior de cada time

Após um primeiro tempo morno, Holanda consegue bater o Chile e fica com a primeira colocação do grupo B. Destaque para os reservas Fer e Depay, que entraram na segunda etapa e marcaram os gols da vitória por 2 a 0. Além disso, veja os melhores e os piores de cada time. Robben brilhou mais uma vez pela Holanda. Alexis Sánchez se salvou na fraca atuação chilena. Confira também as notas de Louis van Gaal e Jorge Sampaoli, técnicos das seleções. Não podemos esquecer o trio de arbitragem, comandado pelo gambiano Bakary Gassama.

Holanda

Cillessen – 6,5 – Não foi tão exigido durante a partida Quando precisou, soube afastar o perigo.

Janmaat – 6,5 – Foi bem na marcação e, no segundo tempo, fez o cruzamento perfeito para Fer abrir o placar do jogo.

Vlaar – 6 – Conseguiu fazer boa marcação nos rápidos atacantes chilenos e não teve problemas em afastar as bolas áreas.

De Vrij – 6 – Não teve dificuldades na marcação. Soube marcar e afastar os cruzamentos chilenos.

Blind – 5,5 – Não teve espaço para lancer e fazer bons passes para os seus companheiros. Além disso, por falta dura, acabou tomando o cartão amarelo.

De Jong – 5,5 – Como sempre, jogou duro na marcação, mas não teve qualidade na saída de bola.

Sneijder – 6 – Mais marcou do que atacou. Porém, quando tinha a bola, conseguiu fazer bons lançamentos para os atacantes.
Leroy Fer – 6 – Entrou com estrela na partida. Logo no primeiro toque na bola, tirou o 0 do placar e colocou a Holanda em vantagem.

Wijnaldum – 6 – Ficou muito preso na marcação e não conseguiu fazer a transição da defesa para o ataque com qualidade.

Robben – 7,5 – Foi o jogador mais perigoso do time no primeiro tempo. Usou e abusou de suas arrancadas, mas não conseguiu abrir o placar. Assim, nos acréscimos do segundo tempo, puxou contra-ataque e cruzou para Depay marcar.

Kuyt – 5,5 – Foi eficiente na marcação, mas pouco colaborou ao ataque durante a primeira etapa. Acabou sendo substituído por cansaço no final da partida.
Kongolo – 5 – Entrou já nos minutos finais e pouco tocou na bola.

Lens – 5 – Ficou preso na marcação e pouco apareceu no ataque. Não conseguiu demonstrar suas arrancadas e foi substituído no segundo tempo.
Depay – 6,5 – Entrou e incendiou a partida. Arriscou um chute de longe, que gerou o escanteio, no qual saiu o gol holandês. Além de ter marcado o segundo gol da seleção.

Técnico: Louis van Gaal – 7,5 – Armou um bom time marcador, que apostou nos contra-ataques, no primeiro tempo. Acertou nas modificações, já que dos três que entraram, dois marcaram gols.

Chile

Bravo – 6 – Não teve culpa direta nos gols e ainda fez defesas importantes durante a partida.

Medel – 6,5 – Foi o grande destaque da defesa no primeiro tempo. Conseguiu bons desarmes e afastou muitas bolas aéreas.

Silva – 5 – Marcou bem, mas exagerou em algumas entradas e acabou tomando o cartão amarelo, ainda no primeiro tempo.
Valdivia – 5 – Entrou e pouco fez no meio-campo. Ficou preso na marcação holandesa.

Jara – 6 – Conseguiu proteger bem o lado esquerdo da defesa. Porém, teve dificuldades na bola aérea.

Isla – 5,5 – Até que foi bem na marcação, mas não conseguiu ser ofensivo, como é de costume, e pouco apareceu no ataque.

Díaz – 6 – Foi bem marcado no primeiro tempo e não conseguiu dar qualidade a saída de bola do Chile.

Aránguiz – 6,5 – Bem na marcação, tentou ajudar o ataque também, mas não foi efetivo. Porém, mesmo assim, foi um dos melhores jogadores da partida.

Gutiérrez – 5,5 – Não conseguiu sair da forte marcação holandesa. Só apareceu nas bolas paradas e foi substituído no intervalo.
Beausejour – 5 – Entrou e não conseguiu dar a força de ataque que o time precisava.

Mena – 6 – Marcou bem e conseguiu, poucas vezes, chegar ao ataque. Faltou melhorar os cruzamentos.

Vargas – 5 – Pouco apareceu na partida. Ajudou mais na marcação do que foi criativo no ataque e acabou substituído na segunda etapa.
Pinilla – 5 – Entrou já no final da partida e pouco tocou na bola. Não conseguiu mudar o destino da martida.

Sánchez – 7 – Foi o responsável pelas poucas jogadas ofensivas do Chile na partida. Mesmo jogando isolado, conseguiu criar algumas boas oportunidades.

Técnico: Jorge Sampaoli – 5,5 – Armou um time mais defensivo que teve a posse de bola, mas não soube aproveitá-la como deveria. Além disso, suas substituições não sortiram efeito no jogo.

Trio de arbitragem – 8 – Acertou em quase todas as decisões tomadas na partida e não se deixou influenciar pelas quedas dos chilenos dentro da área.

FOTOS: UOL

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa