Arturo Vidal é um dos remanescentes da seleção bicampeã da Copa América. Foto: Andres Pina/Photosport Chile/AFP

Arturo Vidal é um dos remanescentes da seleção bicampeã da Copa América. Foto: Andres Pina/Photosport Chile/AFP

O Chile dará início hoje à busca pelo tricampeonato da Copa América em duelo com o Japão, no Morumbi, às 20h (horário de Brasília). Vencedora das duas últimas edições da competição, a seleção chilena pode quebrar um tabu de 72 anos.

O último e único tricampeonato seguido no torneio foi conquistado pela Argentina, em 1947, no Sul-Americano disputado no Equador. Na ocasião, os argentinos defendiam os títulos das edições de 1945 e 1946. Nem mesmo o Uruguai conseguiu emendar três taças seguidas antes disso, mesmo com oito conquistas em 17 edições disputadas entre 1916 e 1942.

Desde então, a marca obtida pelos argentinos há mais de sete décadas quase foi alcançada em cinco oportunidades. A própria seleção da Argentina esteve perto do tri nos anos seguintes. Primeiro, em 1959, quando foi vice depois de dois títulos consecutivos. Bicampeã em 1991 e 1993, a equipe foi eliminada pelo Brasil nas quartas de final da edição de 1995.

Campeão em 1983 e 1987, o Uruguai também perdeu a chance de ser tri na última Copa América disputada em solo brasileiro. O time uruguaio enfrentou a seleção brasileira no jogo decisivo, mas viu Romário fazer 1 a 0 e dar o título ao Brasil.

A seleção brasileira, que é dona de oito títulos do torneio, esteve perto do tri em duas ocasiões, mas não conseguiu alcançar a marca dos argentinos. Depois de erguer a taça em 1997 e 1999, o Brasil foi eliminado nas quartas de final edição 2001, disputada na Colômbia. Honduras foi o algoz brasileiro naquele ano.

Em 2011, o Brasil fracassou depois de obter duas conquistas seguidas, em 2004 e 2007, com duas vitórias sobre a Argentina na final. A busca pelo tri foi interrompida pelo Paraguai, novamente nas quartas de final do torneio.

O Chile conquistou seu primeiro título da Copa América em 2015, como anfitrião. O time derrotou a Argentina nos pênaltis, após um empate sem gols. No ano seguinte, os chilenos voltaram a levantar o troféu, sob mesmo roteiro na decisão, nos Estados Unidos.

Depois das duas campanhas vitoriosas, o Chile viveu um fracasso ao não conseguir a classificação para a Copa do Mundo da Rússia. O time ficou na sexta colocação das Eliminatórias sul-americanas. No começo de 2018, a equipe passou a ser comandada por Reinaldo Rueda, que deixou o Flamengo para assumir a seleção nacional.

FICHA TÉCNICA

JAPÃO x CHILE

Data: 17 de junho de 2019 (segunda-feira)
Horário: 20h (de Brasília)
Competição: Copa América
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Árbitro: Mario Diaz de Vivar (Paraguai)
Assistentes: Eduardo Cardozo e Dario Gaona (ambos do Paraguai)

JAPÃO: Osako; Tomiyasu, Ueda e Itakura; Nakayama, Shibasaki, Sugioka, Iwata e Nakajima; Kubo e Okazaki. Técnico: Hajime Moriyasu

CHILE: Arias; Isla, Medel, Maripán e Beausejour; Pulgar, Aránguiz e Vidal; Fuenzalida, Eduardo Vargas e Alexis Sánchez. Técnico: Reinaldo Rueda

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa