No vídeo ao vivo exibido via internet com imagens do estúdio, era possível ver os presentes chorando durante a homenagem

No vídeo ao vivo exibido via internet com imagens do estúdio, era possível ver os presentes chorando durante a homenagem

Guilherme Machado e Maurício Dehò
Do UOL, em São Paulo

A vinheta tocou, e a voz de Boechat anunciava: "7 horas e 30 minutos, eu sou Ricardo Boechat". Mas era uma gravação, o jornalista, que morreu nesta segunda-feira (11) em um acidente de helicóptero, não estava mais lá. A Band News FM, que todas as manhãs contava com a participação do âncora, usou o horário em que ele começava sua participação para homenageá-lo.

O programa resgatou frase que o apresentador falou no ar e trouxe depoimentos de ouvintes da rádio, que lamentaram a morte de Boechat. "Boechat nada mais é a nossa voz, do povo brasileiro", dizia um depoimento. "É uma tristeza muito grande essa perda que nós temos hoje", declarava outro ouvinte.

No vídeo ao vivo exibido via internet com imagens do estúdio, era possível ver os presentes chorando durante a homenagem.

"Fica uma missão e a gente vai cumprir. Como você falava e pedi todos os dias: toca o barco. A gente vai tentar Boechat", declarou Eduardo Barão, colega de todas as manhãs de Boechat.

O apresentador também mostrou a cadeira que era de Boechat, e declarou que ela não seria mais utilizada.
"Essa cadeira vai ser aposentada. Ninguém nunca mais vai sentar nessa cadeira. É dele para sempre", contou Barão, que não conseguiu conter o choro.

Tatiana Vasconcellos, jornalista que trabalhou anos com Boechat na Band News FM e que hoje está na CBN, compareceu ao estúdio e, muito emocionada, falou sobre sua convivência e homenageou o âncora.

"Vou guardar pra mim as nossas brigas e como tenho dito. A gente discordava muito, ele ficava puto, mas até as nossas discordâncias nos fizeram melhor. Uma pessoa melhor e uma jornalista melhor", declarou Tatiana.

Mais cedo, a programação matinal da Bandnews FM também começou bem diferente do habitual. Comandada excepcionalmente por Sandro Badaró e Gabriela Mayer , sempre com a voz embargada, as notícias de trânsito e do país foram substituídas pelas homenagens a Boechat, com muita contação de causos e recuperação de áudios marcantes do jornalista. Eduardo Barão e Carla Bigatto, os titulares do horário, se juntaram à programação mais tarde.

Entre as histórias, lembrou-se de quando Boechat ligou para a mãe para perguntar se era filho de Frank Sinatra, pela semelhança com o cantor. Ela ficou irritada, e falou que o pai de Boechat era muitas coisas, mas não mafioso - como se dizia de Sinatra.

Falou-se também de como muitas vezes quando o apresentador reclamava do atraso no jornal das 7h30, o atrasado, na verdade, era ele, e como os jornalistas se preparavam com mais afinco quando era ele no comando do programa, já que suas perguntas eram sempre as mais incisivas, qualquer assunto que fosse.

Foto: Reprodução

Você também vai gostar

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 San
    32
  • 2 Fla
    30
  • 3 Pal
    30
  • 4 Atl
    27
  • 5 São
    27
  • Veja tabela completa